Possíveis causas da ampliação do útero ➜ 【novembro 2019】

Possíveis causas da ampliação do útero

Possíveis causas da ampliação do útero

Possíveis causas da ampliação do útero

A maioria das razões que envolvem o aumento do diâmetro do útero não deve ser causa de grandes preocupações, geralmente são benignos. Mas podem causar sintomas bem incômodos.

 

Causas possíveis do aumento do útero:

Os sintomas do aumento do útero podem variar de sangramentos e dor, inclusive durante as relações sexuais, sensação de inchaço, pressão, dor abdominal, dor na parte baixa das costas e coxas, problemas para urinar etc.

Para diagnosticar um útero com dilatação, a primeira coisa a se fazer é ir ao ginecologista e realizar uma ecografia ordenada, a princípio, e caso não seja o suficiente, uma ressonância magnética.  Caso o ultra-sol não tenha encontrado nenhuma anormalidade, pode ser que o útero esteja acomodado na parte alta da bacia. Isso ocorre geralmente por causa de uma cicatrização de algum procedimento cirúrgico, endometriose  ou infecção.

Também é comum ter a sensação sempre de bexiga cheia, isso ocorre porque a bexiga pode estar sentindo constantemente o útero.

O útero mede cerca de 50cm a 90cm, em condições normais, mais ou menos do tamanho de um punho fechado. Durante a gravidez o útero se expande à medida que o bebê também cresce. Portanto, é importante fazer também testes de gravidez para verificar se esta é a causa do aumento do útero, pois as duas causas mais prováveis para o aumento do útero são os miomas ou a gravidez.

 

    Miomas:

São tumores benignos e mais comuns no útero. Podem crescer fora ou dentro do músculo liso na parede do útero. Os miomas podem crescer com ao forma de um tumor ou em “cachos”. E o seu tamanho também pode variar, desde pequenos como uma ervilha até tão grandes quanto um melão. Infelizmente, o mioma não é tão incomum, quase metade das mulheres tem, já tiveram ou terão um mioma em algum momento da vida. Os sintomas mais comuns incluem muito sangramento menstrual, mais do que o normal, dor pélvica, aumento da micção, dor durante a relação sexual, prisão de ventre, inchaço abdominal e dor no abdômen, nas costas e no útero. Muitas vezes um mioma pode ser confundido com gravidez.

Um profissional médico pode decidir não remover miomas muito pequenos, tentando outros tratamentos, mas a remoção pode ocorrer caso eles cresçam muito. Em último caso, pode ser que uma histerectomia seja necessária. Porém, tudo isso deve ser cuidadosamente discutido com o seu médico.

 

       Endometriose:

Na endometriose o tecido que recobre o útero (endométrio) cresce dentro das paredes musculares do útero. Isso pode ocorrer durante o período de gravidez ou mesmo depois do nascimento dos filhos.

Geralmente é inofensiva, mas pode ser muito dolorosa. Alguns dos sintomas incluem excesso de sangramento durante a menstruação intensa ou prolongada, fortes cólicas e dores agudas durante a menstruação e relação sexual, sangramento fora do período menstrual e coágulos sanguíneos durante o período de menstruação. Na maioria das vezes,  essas questões são resolvidas depois da menopausa.

O tratamento pode ser feito com anti-inflamatórios, terapia hormonal, ou em casos mais graves uma histerectomia, que dentre os tratamentos, é a única solução permanente.

 

Cisto nos ovários

O aumento do útero também pode ser resultado de cistos ovarianos. Como qualquer outro cisco, são bolsas cheias de líquido. Os cistos nos ovários são de diferentes tipos, o mais comum deles é o cisto funcional, que geralmente são formados durante o ciclo menstrual. Outros tipos são: endometriomas, que se desenvolvem em mulheres com endometriose; cistadenomas, que chegam a tamanhos maiores e podem causar muita dor; cistos dermoides, que também podem atingir dimensões maiores, causando dor; e ovários policísticos.

Algumas mulheres não apresentam nenhum sintoma ou os sintomas podem aparecem posteriormente. Dentre os sintomas, os mais comuns são a dor nas costas, coxas ou abdômen, problemas para urinar, dor durante as relações sexuais, aumento de peso, dor durante os ciclos menstruais, muito sangramento, náuseas, vômito e sensibilidade nas mamas.

Apesar de que alguns cistos podem ser curados no próprio tempo, os ginecologistas devem fazer um acompanhamento para verificar que estão progredindo. O tratamento consiste em uma atenção cuidadosa, pílulas anticoncepcionais ou até mesmo uma cirurgia para remover o cisto, quando necessário.

 Câncer no colo do útero (endometrial)

O câncer no colo do útero pode ser mais uma razão para o aumento do útero. É mais comum em mulheres acima dos 50 anos. A hiperplasia endometrial é um dos fatores de risco nesses casos, assim como a reposição hormonal, a obesidade, o uso de tamoxideno para prevenir ou tratar o câncer de mama ou câncer colo-retal hereditário. No caso do câncer de útero, os sintomas incluem sangramento ou secreção, dificuldade para urinar, dor pélvica e dor durante a relação sexual. O tratamento pode variar de acordo com a sua qualidade de vida e saúde, e com o estado que se encontra o câncer, ou se os hormônios afetam a sua evolução. A histerectomia é pensada como uma solução mais adequada para o câncer no colo do útero. Outras possibilidades de tratamento são a radioterapia e a terapia hormonal.

Como vimos, esses sintomas são muito semelhantes entre si, portanto, devem ser realizados periodicamente exames médicos e idas ao ginecologista para que não fiquem dúvidas e para que os tratamentos adequados possam ser encaminhados sempre o quanto antes.