Bula Torlós-h ➜ 【setembro 2018】

Bula Torlós-h

Apresentação de Torlós-h

Apres. em caixas c/ 14 e 28 compr. rev. Cada compr. de Torlós-h contém: Losartan Potássico …50,00 mg Hidroclorotiazida ..12,50 mg

Informações sobre Torlós-h

Torlós-h possui como princípio ativo Losartan e a Hidroclorotiazida. O Losartan é um antagonista específico de receptor (AT1) de angiotensina II, não-peptídico. Trata-se de um agente anti-hipertensivo, antagonista da angiotensina II, altamente seletivo e que não induz à tosse e não produz hipotensão inicial. Diminui a pressão sangüínea sem alterar o ritmo circadiano, a variabilidade da pressão sangüínea ou o ritmo do pulso. Não afeta o clearance de creatinina, o volume urinário nem a excreção de sódio ou potássio. Quando administrado oralmente, Losartan controla a pressão sangüínea por 24 horas, sem induzir à hipotensão nas primeiras horas da terapia. Isso permite que o produto seja administrado somente uma vez ao dia. Losartan e seu principal metabólito ativo bloqueiam os efeitos vasoconstritor e secretor de aldosterona da angiotensina II aos receptores AT1, encontrados em vários tecidos. Estudos in vitro- demonstram que Losartan é um inibidor competitivo e reversível do receptor AT. Losartan e seu metabólito principal não inibem a enzima conversora de angiotensina (ECA), nem se ligam ou bloqueiam outros receptores hormonais ou canais iônicos, conhecidos como importantes na regulação do sistema cardiovascular. Atualmente se dispõe de agentes capazes de modificar a atividade do sistema reninaangiotensina. Espironolactona, um antagonista da aldosterona, é um desses agentes e é usado especialmente como diurético moderador do potássio. CaptopriI, enalapril e lisinopril são os antagonistas de enzima conversora da angiotensina e ocupam um lugar indiscutível no tratamento da hipertensão. Não obstante, Losartan pode bloquear de uma forma mais direta o sistema renina-angiotensina do que os inibidores da ECA. A Hidroclorotiazida é um diurético tiazídico com ação nos mecanismos de reabsorção tubular renal de eletrólitos, diretamente aumentando a excreção de sódio e cloretos em quantidades aproximadamente equivalentes. Indiretamente, a ação diurética das tiazidas reduz o volume plasmático com aumento da atividade da renina plasmática, aumento na secreção de aldosterona, aumento das perdas urinárias de potássio e redução do potássio plasmático. Assim, a administração de um antagonista de angiotensina tende a reverter a perda de potássio associada à diurese. O mecanismo do efeito anti-hipertensivo dos diuréticos tiazídios é desconhecido.

Indicações de Torlós-h

Torlós-h está indicado para o tratamento da hipertensão arterial.

Contra-indicações de Torlós-h

É contra-indicado para pacientes com hipersensibilidade conhecida ao Losartan potássico ou a outros antagonistas dos receptores de angiotensina e/ou à Hidroclorotiazida ou aos demais componentes da fórmula. Torlós-h está contraindicado durante gravidez e lactação. Por causa da Hidroclorotiazida, este produto é contra-indicado em pacientes com anúria ou hipersensibilidade a outras drogas derivadas da sulfanilamida.

Efeitos Colaterais de Torlós-h

Torlós-h é geralmente bem tolerado. Ocasionalmente, tem-se reportado mal estar epigástrico, diarréia, mialgia, cãibras musculares, tonturas, insônia, congestão nasal, astenia, fraqueza, edema ou inchaço local, náuseas, faringites, cefaléia, hipotensão ortostática. Todos estes efeitos foram geralmente leves e não levaram a interrupção do tratamento. Excepcionalmente, tem-se observado aumento leve e transitório das transaminases, da uréia e da creatinina.

Posologia de Torlós-h

A dose inicial usual de Losartan potássico é de 50 mg uma vez ao dia, ou 25 mg em pacientes com possível depleção de volume intravascular (por exemplo, pacientes em tratamento com diuréticos), e em pacientes com histórico clínico de insuficiência hepática. Losartan potássico pode ser administrado uma ou duas vezes ao dia com doses diárias variando de 25 a 100 mg. A Hidroclorotiazida é eficaz em doses de 12,5 mg até 100 mg uma vez ao dia e pode ser administrada em doses de 12,5 até 50 mg. Pacientes que não são controlados adequadamente com Losartan potássico ou Hidroclorotiazida isoladamente podem ser submetidos à terapia com Torlós-h. A dose inicial é de 1 comprimido de Torlós-h (50mg/12,5 mg) uma vez ao dia. Se a pressão sanguínea permanecer sem controle adequado após cerca de 3 semanas de terapia, a dose pode ser aumentada para 2 comprimidos de Torlós-h uma vez ao dia. * Uso em pacientes com insuficiência renal: A terapia com este produto pode ser realizada enquanto o clearance de creatinina do paciente for superior a 30 ml/min. * Uso em pacientes com insuficiência hepática: A dose apropriada para início de tratamento é sempre com 25 mg de Losartan potássico. Torlós-h 50/12,5 mg não é recomendado a pacientes com insuficiência hepática, uma vez que pequenas alterações no balanço hidroeletrolítico pode precipitar coma hepático.

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM