Bula Reyataz

Bula Longacilin
abril 29, 2017
Bula Aas
abril 29, 2017

Apresentação de Reyataz

Sulfato de atazanavir 150 mg ou 200 mg cáps.

Indicações de Reyataz

Reyataz é indicado em combinação com outros agentes anti-retrovirais para o tratamento da infecção por HIV-1.

Contra-indicações de Reyataz

Reyataz é contra-indicado a pacientes com hipersensibilidade conhecida a qualquer um dos componentes da fórmula, incluindo atazanavir.Ver os itens POSOLOGIA E ADMINISTRAÇÃO: Pacientes com Insuficiência Hepática e PRECAUÇÕES: Insuficiência Hepática e Toxicidade. A coadministração de Reyataz é contra-indicada com drogas altamente dependentes do CYP3A4 para depuração e para as quais concentrações plasmáticas elevadas são associadas com eventos sérios e/ou de risco para a saúde.

Efeitos Colaterais de Reyataz

Pacientes Adultos: O eventos adversos mais comuns associados a regimes contendo Reyataz foram náusea, cefaléia e icterícia. Eventos Adversos relatados em 2% ou mais Pacientes Adultos: Cefaléia, Diarréia, Dispepsia, Icterícia de esclerótica, Icterícia, Náusea, Dor abdominal, Vômito, Lipodistrofia, Insônia, Sintomas neurológicos periféricos, Erupção da pele. Abaixo vêm descritos, por sistema corporal, os Eventos Adversos Emergentes do Tratamento em todos os Pacientes Tratados com Reyataz: Corpo como um todo: reação alérgica, angioedema, astenia, dor nas costas, sensação de queimação, displasia, edema, atrofia facial, fadiga, febre, edema generalizado, sensibilidade ao calor, infecção, mal-estar, superdosagem, dor, palidez, edema periférico, fotossensibilidade, dor no peito subesternal, suor.Sistema Cardiovascular: parada cardíaca, bloqueio cardíaco, hipertensão, miocardite, palpitação, síncope, vasodilatação. Sistema Digestivo: acolia, anorexia, estomatite aftosa, colite, constipação, dor de dente, alargamento abdominal, úlcera esofágica, esofagite, flatulência, gastrite, gastroenterite, distúrbio gastrointestinal, hepatite, hepatomegalia, hepatoesplenomegalia, aumento do apetite, dano hepático, depósito de gordura no fígado, úlcera bucal, pancreatite, úlcera péptica, distensão abdominal, digesia. Sistema Endócrino: diminuição da fertilidade masculina. Sistema Hematogênico e Linfático: equimose, púrpura.Distúrbios Nutricionais e Metabólicos: corcunda-de-búfalo, desidratação, diabetes mellitus, dislipidemia, gota, acidose láctica, lipo-hipertrofia, obesidade, diminuição de peso, ganho de peso. Sistema Musculoesquelético: artralgia, dor óssea, dor nas extremidades, atrofia muscular, mialgia, miastenia, miopatia. Sistema Nervoso: sonho anormal, ansiedade, marcha anormal, agitação, amnésia, confusão, convulsão, diminuição da libido, depressão, tontura, instabilidade emocional, hostilidade, hipercinesia, hiperestesia, aumento dos reflexos, nervosismo, distúrbio do sono, sonolência, tentativa de suicídio, contração muscular.Sistema Respiratório: dispnéia, soluço, hipóxia, aumento de tosse.Pele e Anexos: alopecia, celulite, dermatofitose, pele seca, eczema, alterações na unha, prurido, seborréia, urticária, erupção vesiculobolhosa.Sentidos Especiais: otite, alteração do paladar, tinito.Sistema Urogenital: urina anormal, amenorréia, cristalúria, ginecomastia, hematúria, impotência, cálculo renal, insuficiência renal, dor renal, oligúria, dor pélvica, poliúria, proteinúria, freqüência urinária, infecção do trato urinário.

Posologia de Reyataz

Adultos: A dose recomendada de Reyataz é de 400 mg (duas cápsulas de 200 mg), administrados uma vez ao dia concomitantemente com alimentos. Terapia Concomitante Efavirenz: quando administrado com efavirenz, recomenda-se a posologia de 300 mg de Reyataz e 100 mg de ritonavir com 600 mg de efavirenz (todos em dose única diária com alimentos). Reyataz não deve ser coadministrado com efavirenz na ausência de ritonavir. Ritonavir: quando administrado com ritonavir, recomenda-se a posologia de 300 mg de Reyataz com 100 mg de ritonavir (todos em dose única diária com alimentos). Didanosina: quando administrado com formulações tamponadas de didanosina, Reyataz deve ser tomado (com alimento) 2 horas antes ou 1 hora após a didanosina. Didanosina EC: como as cápsulas de didanosina com revestimento entérico devem ser administradas com o estômago vazio e Reyataz deve ser tomado com alimentos, os dois fármacos devem ser administrados em momentos diferentes. Pacientes com Insuficiência Renal Não é necessário ajuste de dose. Pacientes com Insuficiência Hepática Reyataz deve ser administrado com cuidado em pacientes com insuficiência hepática leve a moderada. Deve ser considerada uma redução da dose para 300 mg uma vez ao dia. Reyataz não deve ser administrado em pacientes com insuficiência hepática grave.