Bula Psicosedin ➜ 【outubro 2018】

Bula Psicosedin

Apresentação de Psicosedin

compr. 10 mg cx. c/ 20 un. compr. 25 mg cx. c/ 20 un. sol. inj. 100 mg cx. c/ 25 amp.

Informações sobre Psicosedin

O clordiazepóxido é um derivado benzodiazepínico dotado de propriedades ansiolíticas, sedativas e miorrelaxantes. Seu poder ansiolítico, entretanto, é bem superior à sua ação miorrelaxante. Sua ação ansiolítica decorre da complexação com receptores específicos. Tais receptores estão situados nas sinapses GABA-érgicas em diferentes regiões do cérebro. O clordiazepóxido é bem absorvido por via oral, sendo sua taxa de ligação protéica muito alta (96%); a biotransformação hepática origina metabólitos ativos. Sua meia-vida de eliminação é longa, como também a de seus metabólitos ativos. Sua excreção é renal.

Indicações de Psicosedin

Estados de tensão e ansiedade.

Contra-indicações de Psicosedin

Pacientes com história de hipersensibilidade aos benzodiazepínicos ou a qualquer componente da fórmula. Gravidez e lactação. Deve-se evitar o tratamento prolongado em mulheres com chance de procriar.

Efeitos Colaterais de Psicosedin

O Psicosedin (clordiazepóxido, cloridrato) é, em geral, bem tolerado. Astenia, fraqueza, incoordenação motora, alteração do funcionamento intestinal, fadiga ou sonolência podem ocorrer no início do tratamento, desaparecendo com a continuidade do mesmo ou com redução da dose. Em casos isolados foram relatados os seguintes efeitos adversos: erupção cutânea, edema, irregularidade menstrual, náusea, sintomas extrapiramidais, assim como aumento da libido. Alterações no eeg foram observadas. Discrasias sangüíneas, icterícia e disfunção hepática foram relatadas ocasionalmente durante o tratamento. Como ocorre com todos os hipnóticos, sedativos e tranqüilizantes durante tratamento prolongado, existe o risco de farmacodependência em pessoas predispostas. Sua interrupção abrupta pode ocasionar sintomas de abstinência. Recomenda-se redução gradual da posologia.

Posologia de Psicosedin

Comprimidos Nas formas de pequena e média gravidade, a dose recomendada é de 1 comprimido de 10mg, 3 a 4 vezes ao dia. Nas formas graves 2 comprimidos de 10mg, 2 a 4 vezes ao dia. Pacientes idosos: 1 comprimido de 10mg por dia. Nos casos mais graves, ou quando se deseja importante efeito miorrelaxante, recomenda-se 1 comprimido de 25mg 3 a 4 vezes ao dia. Injetável Dose média: 50-100 mg I.M. ou E.V.. Repetir, se necessário, 2 a 4 horas após ou 25-50mg, 3 a 4 vezes ao dia. Dose máxima: 300mg durante um período de 6 horas. Preparação da solução injetável Para uso intramuscular: Adicionar 2 mL do solvente especial intramuscular ao frasco-ampola que contém 100mg de substância ativa. Introduzir o líquido lentamente no frasco-ampola, sem fazer muita pressão, a fim de evitar a formação de bolhas na superfície da solução. Agitar suavemente até a completa dissolução. Preparar a solução no momento do uso. Desprezar o que não for imediatamente utilizado. Injetar profunda e lentamente no quadrante lateral e superior da região glútea. Não usar o solvente se este estiver opalescente ou turvo. ATENÇÃO: O produto preparado para via intramuscular não deve ser empregado por via endovenosa. Para uso endovenoso: Adicionar 5 mL de soluto salino fisiológico estéril ou água destilada ao frasco-ampola contendo 100 mg de clordiazepóxido. Agitar suavemente até completa dissolução. Preparar a solução no momento do uso. Desprezar o que não for imediatamente utilizado. ATENÇÃO: O produto preparado para injeção endovenosa não deve ser empregado por via intramuscular.