Alguns dos sintomas pós-colecistectomia podem persistir ainda por um tempo ➜ 【setembro 2018】

Alguns dos sintomas pós-colecistectomia podem persistir ainda por um tempo

Alguns dos sintomas pós-colecistectomia podem persistir ainda por um tempo

Alguns dos sintomas pós-colecistectomia podem persistir ainda por um tempo

Uma colecistectomia é um procedimento muito comum para remover a vesícula biliar. É considerada a cirurgia mais adequada para remover vesícula infectada ou danificada de modo que não acabe danificando ainda mais os tecidos adjecentes e órgãos.

Alguns dos sintomas pós-colecistectomia podem persistir ainda por um tempo

Tipos de procedimentos cirúrgicos de colecistectomia

Existem dois tipos de cirurgias de uso comum para extrair a vesícula biliar infectada ou danificada: a colecistectomia aberta e colecistectomia laparoscópica.

Colecistectomia aberta

Esta cirurgia é realizada com anestesia geral. Primeiro, o cirurgião toma todas as medidas assépticas e posteriormente, realiza uma única incisão, medindo de 4 a 6 polegadas, na região do quadrante superior direito do abdômen. Nesta região, está localizado o fígado, que é levantado e a vesícula biliar é cuidadosamente extraída.

Colecistectomia laparoscópica

Este é um tipo de procedimento avançado e minimamente invasivo, bastante difundido em todo o mundo. Também é um procedimento que demanda anestesia geral. Neste caso, depois da assepsia, o cirurgião faz de 3 a 4 pequenas incisões no abdômen, medindo uma média de 1 a 2 polegadas. Para realizar este procedimento é utilizado um instrumento especial conhecido como laparoscópio.

O laparoscópio é um instrumentos em formato de tubo que vai inserido no abdômen através destas pequenas incisões. Possui uma câmera na parte frontal, que auxilia o cirurgião para que ele possa ver dentro do abdômen. Depois que remover a vesícula biliar, as incisões são fechadas com um par de suturas.

Preparações pré-operatórias:

Visando minimizar qualquer ocorrência mais grave ou qualquer tipo de complicação durante a cirurgia e no pós-cirúrgico, algumas medidas devem ser tomadas antes da cirurgia.

Dieta: O mais comum e geralmente aconselhável é que o paciente não coma nada na noite anterior a cirurgia.

Solução para os intestinos: Existe uma solução especial feita para os pacientes tomarem antes da cirurgia, o objetivo desta solução é limpar os intestinos de forma a colaborar com a visibilidade dos órgãos, com os intestinos limpos, o médico poderá ver com mais clareza, otimizando o processo cirúrgico.

Interrupção dos medicamentos: Geralmente é aconselhado aos pacientes que interrompam a maioria dos medicamentos, especialmente tratando-se de suplementos, afim de reduzir os riscos de sangramento durante a cirurgia.

Tempo de duração da cirurgia: Uma colecistectomia aberta geralmente demora mais tempo do que uma colecistectomia laparoscópica. O procedimento aberto pode ter uma duração que varia, enquanto que o procedimento para cada local costuma demorar entre 30 e 60 minutos.

Atenção pós-colecistectomia:

Acelerar a recuperação e prevenir complicações

O cuidado do paciente após a cirurgia é essencial. Tendo em conta as complicações do procedimento cirúrgico, os sinais vitais do paciente são controlados regularmente. A abertura deve ser limpa com intervalos regulares para prevenir a infecção. Aconselha-se ao paciente não comer ou beber nada durante um certo período de tempo.
Ao paciente é geralmente dado alta do hospital no mesmo dia ou no dia seguinte após a cirurgia.
O objetivo do cuidado pós-operatório é evitar qualquer complicação. A seguir estão listados alguns dos possíveis problemas que podem surgir após a cirurgia de remoção da vesícula biliar.

Complicações imediatas

Hemorragia : Esta é uma das complicações mais temidas pelos médicos e pacientes. Existe o risco de ocorrer sangramento excessivo durante ou imediatamente após o procedimento. Por isso, as primeiras horas após a cirurgia demandam uma atenção e cuidado especiais. Deve-se evitar esforço físico de qualquer natureza, e a alimentação no pós cirúrgico deve seguir à risca as orientações do seu médico.

Danos aos órgãos adjacentes: Os órgãos adjacentes, especialmente o fígado, estão em risco neste procedimento cirúrgico. Os instrumentos utilizados no procedimento cirúrgico podem danificar o fígado e provocar sangramento.

Complicações tardias

Infecção da ferida cirúrgica: Deve-se haver uma atenção especial para o cuidado do ferimento cirúrgico para que não ocorra uma infecção, especialmente nos dois primeiros dias após a cirurgia.

Sangramento: As medidas preventivas para o sangramento devem ser tomadas durante todo o processo cirúrgico e pós cirúrgico. Pode ocorrer um sangramento no  local da cirurgia capaz de causar sérios problemas a saúde do paciente.

Suturas quebradas : É preciso que se tenha muito cuidado e atenção com as suturas depois da cirurgia. Muita descontração e relaxamento com as suturas podem fazer com que elas se soltem, caso isso ocorra, procure imediatamente uma emergência para evitar piores danos.

Recuperação após a remoção da vesícula biliar

Há um equívoco entre as pessoas de que os procedimentos de extração da vesícula biliar não precisam de tempo para se recuperar. O fato é que pode demorar pelo menos uma semana ou até 8 semanas para que o paciente se recupere.
A fase de recuperação se inicia com o fechamento das incisões através das suturas. Durante este período de recuperação, o paciente pode experimental algum desses sintomas:

Dor abdominal: A dor geralmente irradia para dentro do abdômen. No entanto, em alguns casos, a dor também pode se espalhar para as pontas dos ombros.

Náuseas e vômitos: Este é o sintoma pós-colecistectomia mais comumente experimentado. Sabe-se que mais de 90% dos pacientes experimentam este sintoma.

Dor de garganta: A dor de garganta geralmente se experimenta devido ao tubo de respiração, que é inserido durante o processo e que causa irritações nesta região.

Fezes aquosas / imediatamente após as refeições: Isto pode persistir durante quatro a oito semanas. No entanto, você pode tentar ajustar a dieta e escolhendo comer o que é adequado para a sua condição.

Dor, inchaço e hematomas no local da ferida.

Sensação do abdômen inchado e cheio de gases.

 

A dieta é fundamental para uma boa recuperação durante o pós-cirúrgico. Siga todos os conselhos do seu médico para uma alimentação específica em fase de recuperação.

Note que todos os sintomas da fase de recuperação mencionados acima são totalmente normais. Você não deve entrar em pânico, porque o corpo precisa de algum tempo para compensar a sua perda. A única preocupação é o sangramento do local da incisão, que vai precisar de atenção médica imediata. De um modo geral, seguindo todas as devidas orientações para o pré e pós-cirúrgico, não haverá motivos para grandes preocupações.

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM