Bula Fluticaps ➜ 【outubro 2018】

Bula Fluticaps

Bula Fluticaps

Bula Fluticaps

Apresentação de Fluticaps

Embalagem contendo 60 cápsulas para inalação de Fluticaps 50 mcg com inalador.
Embalagem contendo 60 cápsulas de Fluticaps 50 mcg (refil)
Embalagem contendo 15 ou 60 cápsulas para inalação de Fluticaps 250 mcg com inalador.
Embalagem contendo 15 ou 60 cápsulas para inalação de Fluticaps 250 mcg (refil)
USO INALATÓRIO ORAL
USO ADULTO E PEDIÁTRICO ACIMA DE 4 ANOS DE IDADE.
COMPOSIÇÃO
Cada cápsula para inalação de Fluticaps 50 mcg contém:
propionato de fluticasona ………………………………………………………………………….50 mcg
Excipiente: lactose monoidratada.
Cada cápsula para inalação de Fluticaps 250 mcg contém:
propionato de fluticasona …………………………………………………………………….250 mcg
Excipiente: lactose monoidratada.

Indicações de Fluticaps

Fluticaps está indicado no tratamento de manutenção das doenças pulmonares crônicas como a asma brônquica, em adultos e crianças acima de 4 anos, e da doença pulmonar obstrutiva crônica.

Contra-indicações de Fluticaps

Fluticaps é contraindicado no tratamento de episódios agudos de asma, e para indivíduos com história de hipersensibilidade a qualquer componente da fórmula.
Este medicamento é contraindicado para menores de 4 anos de idade.

Uso na gravidez de Fluticaps

Categoria de risco na gravidez: C.
Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.
Atenção: Este medicamento contém açúcar (lactose), portanto, deve ser usado com cautela em portadores de Diabetes.

Interações medicamentosas de Fluticaps

GRAVIDADE MAIOR
Medicamentos: atazanavir, claritromicina, indinavir, cetoconazol.
Efeito da interação: aumento da concentração plasmática de fluticasona e diminuição da concentração de cortisol.
Medicamentos: bupropiona.
Efeito da interação: precipitação das crises asmáticas.
GRAVIDADE MODERADA
Medicamentos: amprenavir, darunavir, delavirdina, fosamprenavir.
Efeito da interação: aumento da concentração plasmática de fluticasona.

Efeitos Colaterais de Fluticaps

As seguintes reações adversas podem ocorrer com uso da fluticasona inalatória: Reações adversas comuns (entre 1 e 10%): infecção de vias aéreas superiores, irritação na garganta, sinusite, rinite, inflamação das vias aéreas superiores, candidíase oral, náuseas, vômitos, desconforto gástrico, infecção gastrointestinal viral, febre, infecções virais não específicas, tosse, bronquite, cefaleias, lesão muscular, dores musculoesqueléticas. A seguir são relacionados os efeitos desagradáveis relatados que podem ocorrer durante o tratamento com Fluticaps e algumas orientações a respeito:
– em alguns pacientes, pode ocorrer candidíase em orofaringe e faringe. O desconforto ocasionado pode ser aliviado fazendo a lavagem da boca com água, após o uso do medicamento. A candidíase sintomática pode ser tratada com terapia antifúngica tópica, sem que haja necessidade de descontinuar o uso de Fluticaps;
– em alguns pacientes, o propionato de fluticasona pode ocasionar rouquidão, que pode ser controlada com a lavagem da boca imediatamente após a inalação;
– como em outras terapias inalatórias, pode ocorrer broncoespasmo paradoxal, com consequente aumento imediato na dispneia após administração da dose. Este quadro deve ser imediatamente revertido com o uso de um bronco dilatador de ação rápida, por via inalatória. Nestes casos, o uso de Fluticaps deve ser imediatamente interrompido e, caso seja necessário, uma terapia alternativa deve ser instituída;
– reações de hipersensibilidade cutânea foram relatadas;
– alguns casos de insuficiência adrenal foram associados ao uso da fluticasona;
– sintomas da síndrome de Cushing como hiperglicemia e glicosúria podem ocorrer e estão associados às altas doses;
– apesar de raros ocorrem casos de glaucoma e aumento da pressão intraocular durante o uso de corticoides inalatórios.
“Em casos de eventos adversos, notifique ao Sistema de Notificações em Vigilância Sanitária-NOTIVISA, disponível em http://www.anvisa.gov.br/hotsite/notivisa/index.htm, ou para a Vigilância Sanitária Estadual ou Municipal.”

Posologia de Fluticaps

Fluticaps só deve ser administrado por via inalatória oral. Os pacientes devem ser alertados quanto à natureza profilática da terapia com o propionato de fluticasona, e que este deve ser utilizado regularmente, mesmo quando estejam assintomáticos. A dose de propionato de fluticasona deve ser ajustada de acordo com a resposta de cada paciente. Os pacientes devem ser orientados a procurar o médico caso observem que o alívio com doses menores de bronco dilatadores tornou- se menos efetivo, ou estejam necessitando de um número maior de inalações do que o prescrito.
ASMA
Adultos e adolescentes acima de 16 anos: Pacientes com asma leve devem ser orientados com doses de 100 – 250 mcg, duas vezes ao dia. Nos casos de asma moderada a dose recomendada é de 250 – 500 mcg duas vezes ao dia. Em pacientes com asma severa, recomendam-se doses de 500-1000 mcg duas vezes ao dia. Crianças acima de 4 anos: A dose recomendada é 50 a 100 mcg, duas vezes ao dia, podendo ser ajustada até que o controle seja atingido, conforme a resposta do paciente.
DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRÔNICA (DPOC)
A dose usualmente recomendada em adultos é de 500 mcg, duas vezes ao dia.
Manipule as cápsulas somente no momento da administração. Leia as instruções contidas na bula para o manuseio do inalador e administração do medicamento.