Bula Decan Haloper

Bula Ribaviron c
abril 29, 2017
Bula Ceflen
abril 29, 2017

Apresentação de Decan Haloper

sol. inj.: caixa c/ 3 amp. de 1 ml (50mg).

Indicações de Decan Haloper

No tratamento de manutenção de pacientes psicóticos crônicos estabilizados.

Contra-indicações de Decan Haloper

O Haloperidol é contra-indicado a pacientes portadores de afecções neurológicas acompanhadas de sintomas piramidais ou extrapiramidais. Pacientes gravemente deprimidos, comatosos ou depressivos tóxicos graves do sistema nervoso central. Mal de Parkinson. Encefalopatia orgânica grave. Formas graves de nefro e cardiopatia. Depressão endógena. Primeiro trimestre de gravidez e amamentação. Hipersensibilidade ao Haloperidol. Lesão dos gânglios da base.

Posologia de Decan Haloper

O Decanoato de Haloperidol é recomendado para uso em pacientes psicóticos crônicos que requerem terapia antipsicótica parenteral. Estes pacientes devem ser previamente estabilizados com a medicação antipsicótica, antes de considerar a conversão com o Decanoato de Haloperidol. Deve ser usado apenas em adultos e foi formulado para fornecer terapia para um mês na maioria dos pacientes após uma única injeção por via intramuscular profunda na região glútea. Não é recomendada a administração de volumes maiores que 3ml por serem desconfortáveis para o paciente. O Decanoato de Haloperidol não deve ser administrado por via endovenosa. Como a resposta individual a fármacos neurolépticos pode ser variável, a dose deve ser determinada individualmente, sendo iniciada e aumentada gradualmente sob supervisão clínica cuidadosa. A dose inicial individual dependerá da severidade de sintomatologia e da quantidade de medicação oral necessária para manter o paciente antes de iniciar o tratamento de depósito (depot). A dose normal pode ser calculada a partir da dose oral de Haloperidol ou da dose equivalente de outros neurolépticos. A cada quatro semanas deve ser administrada uma dose correspondente a cerca de 20 vezes a dose oral diária de Haloperidol, expressa em miligramas. De modo geral, na prática clínica, pode-se estabelecer que uma dose de 1 a 3ml (50 a 150mg) a cada quatro semanas é suficiente para condições psicóticas de grau leve a moderado. Nos casos mais graves, necessita-se de doses mais elevadas, podendo-se chegar a 6ml (300mg). De acordo com a evolução dos sintomas, as doses podem ser aumentadas ou diminuídas nas injeções subseqüentes. Uso em idosos e em pacientes debilitados: É recomendável iniciar o tratamento com doses baixas, por exemplo 12,5-25mg a cada 4 semanas, aumentando a dose de acordo com a resposta do paciente.