Como acabar com o ronco a Noite?

O novo fármaco sustenta a esperança de pacientes HIV-positivos, que são resistentes a múltiplas drogas
agosto 10, 2017
Maca Peruana Aumenta a Libido em Homens e Mulheres e Ajuda a Engravidar!
setembro 28, 2017

O problema de ronco é algo conhecido por todos. Se não é por experiência própria, ao menos, por que é um elemento muito recorrente para as brincadeiras e demais situações engraçadas. No entanto, risos de um lado, os roncos não são algo de bom com o que viver, e são muitos os que tentam dar-lhe solução. Se acaba por aumentar o risco de desenvolver hipertensão arterial e o risco cardiovascular Da metade da população adulta (45%) enfrenta o problema de ronco de forma ocasional e pelo menos 25 %, o faz de forma habitual.

Quando você dorme com alguém que ronca ao seu lado é impossível descansar bem. Esses ruídos irritantes que toda a noite se afligem podem provocar pesadelos, insônia e pela manhã, mal-humorado. Parece que nada vai fazer com que a outra pessoa se rua ou reduza os sons provenientes do nariz ou boca. Agora, o que acontece se o que ronca é você? Talvez não o sentisse, mas seu companheiro de cama ou quarto pode sofrer as conseqüências.

O sono profundo e ajuda a reparar as células, os músculos, os órgãos e até a pele. Se você dorme bem durante a noite, pela manhã você vai se sentir renovado, por isso é tão importante. Enquanto dormimos, o corpo rejuvenesce e se repara.

Já se conhece quais são os efeitos de passar uma noite ruim, por diversas razões que não serão apresentadas aqui. No outro dia, você está mal-humorado, com dor de cabeça, irritação, problemas para se concentrar, não é nada produtivo, etc. São muitas as consequências que a falta de sono traz para o nosso organismo.

Agora, se várias vezes por semana você tem problemas para conciliar o sono, isto pode afetar a sua saúde. É provável que se cair de cama com mais frequência, que se doridos os músculos, que se ataquem as enxaquecas e que você não pode prestar atenção a nada do que você faz. Basicamente, você vai ser como um zumbi todo o dia.

No que diz respeito ao exterior, também há sinais de falta de sono: pele cansada, manchas, gordura, com falta de luminosidade; frizz e danificado, fios de cabelo que caem em quantidade, problemas para crescer as unhas, etc.

Uma das principais razões pelas quais uma pessoa pode ter problemas para dormir é ouvir o ronco do parceiro, ou acordar no meio da noite por os seus próprios. Sim, nós podemos ressonar tão alto que iremos abrir os olhos, saltaremos de cama e pode ser que depois nos custe voltar a dormirnos.

O som do ronco (para não dizer irritante ruído) afeta basicamente aqueles que não têm um sono muito profundo, ou quando se encontram nas primeiras fases do sono, apenas vão para a cama.

Se o seu parceiro ou colega de quarto, ronca muito, não faz falta que tomar decisões drásticas, como tomar o seu travesseiro e dormir no sofá, aventarle um travesseiro para a cabeça, tentar rodá-lo, comprar tampões para os ouvidos, ou até se separar.

Pode ser que algo de tudo isto funcione, mas, na realidade, não estão atacando o problema, mas colocando um “patch” para a situação. Se parece que ao seu lado você tem um trompetista profissional ou um urso hibernando, se os vizinhos se queixaram ou se suas olheiras são tão grandes que chegam a seus pés, então, é um bom momento para tomar cartas no assunto, como se diz popularmente.

Não é preciso que você se preocupe com a outra pessoa, mas que você ajude a evitar a situação. Porque, na realidade, se está roncando é por um problema e não o faz por diversão ou para perturbá-lo. Uma boa ideia é conversar com seu parceiro ou parceira e contar-lhe o que se passa. Desta forma, ambos colocarão seu grão de areia para melhorar as coisas.

No caso das mulheres, o número se reduz para 14 %. O ronco e a apneia do sono são transtornos decorrentes de uma má respiração durante o sono e, como tal, traz consigo algumas conseqüências prejudiciais para a saúde. “Se acaba por aumentar o risco de sofrer de hipertensão arterial, assim como de agravar o risco cardiovascular de uma pessoa”, afirma o doutor Diego García-Borreguero, diretor do Instituto de Pesquisas do Sono. Aqueles que sofrem este tipo de distúrbios respiratórios afirmam se sentir cansado na manhã seguinte, como consequência de não ter podido descansar bem. “Isso vai resultar em um pior desempenho profissional, além de aumentar por seis a probabilidade de ter um acidente de viação em comparação com um motorista que dorme bem”, adverte o mesmo médico. Trata-se, pois, de um problema que não devemos negligenciar. Existem diferentes soluções, mas sem dúvida, o estilo de vida repercute diretamente no seu aparecimento.

A Seguir algumas dicas pode ajudar a prevenir ou acabar com o ronco.

Deixar o tabaco e o álcool

Partamos do princípio de que o estilo de vida atual teve muito que ver com que se aumente o número de pessoas que roncam. De fato, os médicos insistem em dizer que antes de recorrer à cirurgia, é recomendável rever e autoevaluar nosso estilo de vida. Nesta linha, há que se destacar que nem o tabaco ou o álcool ajudam a acabar com este problema, mas sim o contrário. Fumar provoca a inflamação da membrana mucosa do nariz e da garganta, bem como o bloqueio dos vasos sanguíneos que chegam aos pulmões. Por outro lado, o álcool pode provocar o colapso parcial das vias respiratórias (causa direta do ronco), ou o colapso total destas (por causa da apneia). Consumir álcool regularmente contribui para o desenvolvimento deste tipo de distúrbios da respiração.

Organizar nossas horas de sono

O ronco se apresentam durante o sono, no entanto, existem duas fases em que somos mais vulneráveis à sua aparição. Trata-Se da Fase 1, quando estamos ficando tranquilos adormecidos; e a Fase REM, que é quando ocorrem os sonhos. Uma pessoa com uma má organização do sonho (não dorme o suficiente, sem horários determinados, etc.) é também mais propensas a desenvolver estes desencontros respiratórios.

Ir às revisões médicas

Embora pareça óbvio, é importante saber se o paciente tem algum tipo de problema específico. Ronco ou apnéia podem ter diversas causas e daí a importância de se estabelecer essa causa reside em alguma doença prévia. Por exemplo, a diabetes, hipotireoidismo, alergias ou a secura nasal são fatores que normalmente influenciam a ocorrência desses distúrbios respiratórios.

Uma pílula contra o ronco Da empresa farmacêutica norte-americano Vivus desenvolveu uma pílula que pode se tornar a solução definitiva contra os ronco, apesar de ainda se encontrar em fase experimental. Como recolhem do Daily Mail, o Qnexa, nome da nova pílula, conseguiu reduzir o problema em 70 % dos casos, em um estudo realizado para 45 pessoas, entre 30 e 65 anos. A pílula conseguiu também outros efeitos: 10% dos pacientes diminuíram de peso e também reduziram a sua pressão arterial. E é que o fármaco, composto por uma mistura de fentermina e topiramato (utilizados para tratar a epilepsia), foi concebido como um emagrecimento.